Borghi Acqua & Fitness

Publicado em: 30/05/2017

Aeróbico ou musculação para mudar a composição corporal? Descubra

Médico comenta pesquisa que mostrou que o treinamento de força e resistência é tão eficiente quanto o aeróbico para o emagrecimento e desvenda mito do "obeso saudável".

Aeróbico ou musculação para mudar a composição corporal? Descubra

Quantas vezes você já escutou a afirmação: musculação não emagrece, o que emagrece é o exercício aeróbico? Por muitos anos essa frase foi utilizada no tratamento de indivíduos com sobrepeso ou obesidade, mas diversos estudos recentes mostram exatamente o oposto: musculação pode ser mais efetiva para a mudança da composição corporal do que os exercícios aeróbicos.

Um estudo muito recente, publicado essa semana no "New England Journal of Medicine" e feito com 141 homens obesos, mostrou que o treinamento de força e resistência (musculação) ou ele combinado com o exercício aeróbico é tão eficiente quanto o aeróbico para o emagrecimento. Esse estudo é interessante pois a perda de peso em todos os grupos foi igual, ou seja, tanto no grupo do aeróbico, no grupo da musculação ou no combinado a perda de peso foi similar. Mas “emagrecer” é uma coisa, mudar a composição corporal é outra completamente diferente.

Se analisarmos os dados desse mesmo estudo e levarmos em conta a avaliação do percentual de gordura corporal dos indivíduos estudados percebemos que no grupo que realizou a musculação, a perda de massa muscular foi de apenas 2% quando comparado com o grupo que fez apenas aeróbico, onde a perda foi maior de 5%. Assim, quanto menor a massa muscular de um indivíduo, maior é seu o percentual de gordura. Portanto, apesar do emagrecimento similar de todos os grupos estudados, o que fez musculação teve a melhor composição corporal no estudo.

Por que o termo “obeso saudável” não existe?
A obesidade é considerada uma doença inflamatória crônica, produz citocinas, que são proteínas que regulam o crescimento e atividade de células imunes responsáveis pela inflamação. Este estado eleva o risco de desenvolvimento de diversas doenças debilitantes. Um estudo dinamarquês recente demonstrou que, mesmo indivíduos obesos e saudáveis metabolicamente (com HDL, triglicerídeos, glicemia e pressão normais) apresentam maior propensão ao desenvolvimento dessas patologias quando comparados com a população de peso normal e saudável. Isso seria consequência dessa reação inflamatória crônica provocada pela obesidade, que leva a um envelhecimento precoce das células. Com o envelhecimento há uma diminuição da função física de todos os indivíduos. Porém, a população obesa e saudável mostrou uma piora da mesma e também apresentou mais dor corporal em comparação aos adultos com peso normal.

A importância dessa constatação é que o exercício físico controla, de forma direta, os processos inflamatórios e a diminuição da realização dos mesmos elevaria o risco de doenças mais graves. Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia (SBEM) a obesidade, por si só, independentemente dos exames bioquímicos apresentados pelo indivíduo, é uma ameaça para o desenvolvimento de doenças que geram uma diminuição de qualidade de vida e aumento da mortalidade da população mundial. Portanto, não existe obeso saudável. Essa condição pode mudar a qualquer momento. Assim o excesso de peso corporal tem de ser evitado e tratado sempre.

Outro grande estudo divulgado no Congresso Europeu sobre Obesidade de 2017, em Portugal, da Universidade de Birmingham identificou que mesmo os obesos que não apresentavam sinais de risco à saúde como hipertenção, diabetes, alterações no colesterol, ou seja, eram metabolicamente saudáveis, não estavam livres de problemas de saúde no fim da vida e eram mais suscetíveis a ter problemas cardíacos e acidentes vasculares cerebrais. Nesse estudo os pesquisadores analisaram 3,5 milhões de pessoas, entre 1995 e 2015, antes de concluir que a afirmação de que a existência de obesos em forma é um mito. De acordo com o estudo, o peso extra é sim um problema.

Por que fazer exercícios físicos e mudar a composição corporal é tão importante para quem está acima do peso?
Pesquisa divulgada na semana passada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que mais de 60% dos brasileiros não faz exercícios físicos. De acordo com os dados do suplemento Prática de Esporte e Atividade Física da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2015, 100,5 milhões de brasileiros acima de 15 anos não praticaram esporte ou atividade física, o que corresponde a 62,1% dessa população.

Vale lembrar que na maioria dos estudos os maiores benefícios para o emagrecimento e a mudança da composição corporal foram vistos da união entre o exercício aeróbico e o exercício de força, ou seja, a musculação. Essa discussão nos traz a luz sobre os riscos do sobrepeso e da obesidade para a saúde e sobre a importância da combinação de diferentes estratégias para a mudança da composição corporal. Tenha sempre acompanhamento médico e nutricional com profissionais qualificados. Valorize e tenha sempre supervisão do profissional de educação física para realizar um programa de exercícios físicos.

  • Fonte: Eu Atleta
  • Por: Guilherme Renke
  • 0 Comentário
Ainda não temos nada digitado..

Foram encontrados 0 registros