Borghi Acqua & Fitness

Publicado em: 16/03/2017

Branco, parboilizado, integral... Confira as características de cada tipo de arroz

Um dos cereais mais produzidos e consumidos no planeta, o arroz faz parte do dia a dia do brasileiro. Mistura com feijão é barata, saudável e nutritiva, avalia nutricionista.

Branco, parboilizado, integral... Confira as características de cada tipo de arroz

O arroz é um dos cereais mais produzidos e consumidos em todo o mundo e possui grande participação na alimentação da população brasileira. Segunda a Food and Agriculture Organization (FAO), órgão que tem como objetivo promover a segurança alimentar, o Brasil é o único país não asiático entre os dez maiores produtores de arroz do planeta. Alimento de fácil digestão, hipoalergênico, ele pode ser usado em preparações doces e salgadas. O arroz é uma excelente fonte energética, devido à alta concentração de carboidratos na forma de amido, e possui proteínas (5 a 13%) e baixo teor de lipídios.

As características do arroz
Contém, principalmente, vitaminas do complexo B e E, com concentrações insignificantes das A, D e C. Enquanto no arroz com casca o mineral silício é o dominante, no integral e polido, destacam-se fósforo, potássio e magnésio. Ferro e zinco, essenciais para a saúde humana, estão disponíveis em baixas concentrações no grão.

Similar a outros cereais, o arroz apresenta a lisina como aminoácido limitante. Entretanto, entre os cereais, o arroz apresenta uma das maiores concentrações de lisina, resultando em balanço de aminoácidos mais completo.

Os tipos mais comuns de arroz

Arroz polido ou branco: fonte de carboidratos e proteínas. Grãos longos e finos (agulhinha) que sofre processo de descascamento e polimento, perdendo parte de vitaminas, minerais (principalmente ferro) e fibras. Apresenta maior "vida de prateleira".

Arroz integral: fonte de carboidratos, proteínas, lipídeos, fibras, vitaminas do complexo B, minerais e compostos fenólicos. Apresenta aparência mais escura devido à presença da camada de farelo e do germe.

Arroz parboilizado: fonte de carboidratos, proteínas, fibras, vitaminas do complexo B e minerais. Também é conhecido como arroz malekizado, amarelão, amarelo e macerado. Apresenta uma cor amarelada e odor mais forte. Rico em Vitamina B1 (tiamina) e tem mais fibra do que o branco.
Parboilização é o tratamento hidrotérmico onde o arroz ainda com casca é imerso em água potável para o encharcamento em temperatura acima de 58ºC, seguido de gelatinização total ou parcial do amido em autoclave e secagem. O grão parboilizado é descascado, podendo ser comercializado na forma integral ou polido, com aumento do rendimento industrial.

Arroz selvagem: rico em nutrientes, pouco calórico e geralmente utilizado em misturas com o arroz branco. Também conhecido como zizania ou grão de água, foi o alimento básico dos índios Chippewa. Grão de maior comprimento e cor escura, cresce de forma selvagem e natural em pequenas produções nas margens dos grandes lagos da América do Norte.

Arroz arbório: variedade italiana que apresenta elevada quantidade de amido. Ideal para preparações cremosas, como os risotos.

Arroz basmati: originário da Índia e Paquistão, possui grãos longos, superfinos, brancura excepcional e aroma muito agradável de sândalo.

Arroz cateto ou japonês: grão curto e arredondado tem grande capacidade aglutinadora e seu uso é bastante popular na cozinha japonesa e no preparo de sushi.

Arroz de jasmine: conhecido como arroz tailandês, possui grãos bem brancos, longos e aromáticos. Os grãos se aglutinam quando cozidos.

Arroz negro/preto: cultivado na China há mais de quatro mil anos. Mais nutritivo; possui menor teor de gorduras; mais fibras e proteínas; muito rico em antocianina /compostos fenólicos (10 vezes mais que os outros tipos) com ação antioxidante; contém cobalto, vitaminas A, B1, B2, B6, B12, niacina, ácido nicotínico, ácido pantatênico, pró-vitaminas C e E.

Arroz com Feijão é barato e saudável
Constitui a base da dieta da população brasileira, apresenta baixo custo sendo consumido por todas as classes. A combinação fornece proteína de bom valor biológico, rica em fibras, carboidratos complexos e baixa quantidade de gordura saturadas e colesterol (se não acrescentar óleos, carnes gordas e salgadas ao feijão).

Arroz (cereais) - boa qualidade de aminoácidos, alta quantidade de metionina e deficiente em lisina.

Feijão (Leguminosas) - deficiente no aminoácido metionina, mas possui alta quantidade de aminoácido lisina

A população brasileira vem reduzindo o consumo dos alimentos tradicionais da dieta (ex: arroz e feijão), aumentando o consumo de produtos industrializados, consumindo excessivamente açúcar, sal e gordura; e com baixa ingestão de frutas/verduras/legumes.

Este desequilíbrio alimentar tem contribuído para o aumento do desenvolvimento de doenças como obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares, certos tipos de câncer, hipertensão e outras doenças crônicas.

  • Fonte: Eu Atleta
  • Por: Eu Atleta
  • 0 Comentário
Ainda não temos nada digitado..

Foram encontrados 0 registros